06 dezembro, 2017

Talvez eu esteja inerte demais.
Talvez eu esteja tentando voltar a uma armadura que já não me serve mais.
Ando muito encolhida. Há um tempo o sol que me ilumina não é o mesmo e eu me acomodei a não receber toda a energia de antes.
Me acomodei a ser pequena.
Me acomodei a não ter espaço.
Me acomodei porque achei que estava protegida quando na verdade eu estava só escondida.
Não havia do que me proteger. Não havia o que enfrentar. Eu já havia derrotados meus monstros mas mesmo assim decidi fugir quando tive uma chance.
Porque eu não fui feita para batalhas. Ou achava que não havia sido feita. Eu não tinha noção do que havia enfrentado até sentir saudades da parte de mim que estava na guerra.
E foi nesse momento de lucidez em meio ao meu aperto que percebi o quanto eu já havia feito. Não foi nada pequeno. Fui heroica quando eu menos achei que fosse ter forças para enfrentar a vida. Fui resistente quando pessoas ao meu redor largavam suas espadas. Eu soube lutar. Soube percorrer meus obstáculos porque eu tinha forças, porque eu queria provar pra mim que eu podia.
E eu pude.
E eu posso.
É isso que eu preciso lembrar.
Eu ainda posso conquistar o mundo se eu sair do meu casulo. Se eu dissolver a muralha que agora atrapalha o sol de me iluminar. Eu ainda posso ser o que quiser e enfrentar qualquer batalha porque eu sou capaz.
Eu só preciso encontrar a armadura certa, inflar o peito e me jogar.
Porque por mais dolorosas que as lutas possam ser, eu sei que posso ganhar.

03 agosto, 2017
Eu não sei em que ponto da vida eu voltei ao meu casulo. 
Na verdade eu chego a pensar que nunca o rompi por completo. 
Que nunca vivi de verdade. 
Que nunca deixei me levar. 
Às vezes eu penso que seria mais fácil se eu não fosse eu. 
Eu sou tão complicada, tão dramática, tão cheia de neuroses que seria mais leve a estrada se eu não fosse tão complexada. 
Eu me perdi. Vivo me perdendo tentando me encontrar. 
Vivo me escondendo tentando acertar. 
Vivo não vivendo deixando tudo passar. 
Eu sei que cada qual tem suas dores e suas próprias batalhas mas deve ser mais fácil lutar quando seu próprio inimigo não é sua mente atordoada.
Eu não sei onde eu erro, eu não sei onde eu perdi a fórmula. 
Eu não sei por quanto tempo eu dormi. 
Eu só queria ser livre das próprias amarras que eu ponho em meus pés. 
Eu só queria que fosse mais simples eu me entender. 
Eu só queria que fosse mais fácil me aceitar. 
Talvez seja a TPM que esteja gritando em meus ouvidos e me deixando emotiva. 
Talvez seja a idade sussurrando o tempo que passou e eu não aproveitei. 
Talvez seja minha consciência eloquente tentando assimilar tudo que eu já vivi e um pouco assustada com tudo que tenho a viver. 
Eu não sei. Eu realmente não sei.
Deve ser normal por essas crises não é?! 
Eu espero que passe logo. 
Eu espero me romper. 
Eu espero voar. 
Eu espero reagir.
Eu não espero que esse texto faça algum sentido. 
Desculpa se alguém além de mim o leu. Eu só queria mesmo me por em palavras e soltar tudo que me rondava pra ver se eu conseguia assim me sentir um pouco melhor. 
Um pouco melhor do que eu sou.
26 janeiro, 2017
A habilidade de escutar e entender um idioma diferente do seu materno nem sempre é uma tarefa simples. Como falantes nativos, falamos de forma natural, rápida, fluida e usamos muitas gírias comuns no nosso cotidiano que variam de acordo com a região onde vivemos. É óbvio que por sermos nativos em um determinado idioma, mesmo com todas as variações de sotaques e vocabulários, é muito provável que nós iremos entender o que quer ser dito. E quando falamos de um idioma estrangeiro a tarefa se torna um tanto mais árdua, já que não crescemos ouvindo determinado idioma e devemos nos adaptar a entendê-lo. E uma forma bastante eficiente, quando você não tem a oportunidade de realizar um intercâmbio, é utilizar a língua. Consumir cultura no determinado idioma. Seja música, livros, filmes, seriados e etc.


Como hoje o assunto é listening (habilidade de entender o que se ouve), compartilho aqui com vocês uma técnica que estou usando e que vem me proporcionando significativa melhora. Segue:

1.       Escolha um seriado que você adora e que os episódios tenham em torno de 20 minutos; 
2.       Pesquise pelos scripts do seriado, baixe-os;
3.      Leia o script de um determinado episódio;
4.      Enquanto lê, aproveite para melhorar seu vocabulário, pesquise o sentido das gírias, de novas palavras. Anote;
5.      Assista ao episódio com legenda em inglês;
6.      Depois assista novamente o episódio sem legenda;

Pronto, ao final deste exercício, você vai perceber que quando estiver assistindo ao episódio pela segunda vez sem legenda, você terá entendido grande parte, se não tudo, do que foi dito no seriado. Você se sentirá mais confiante. E isso é muito estimulante. Além, é claro, de ter aprendido novos vocábulos.

Considerações importantes

É importante entender que se você quer melhorar suas habilidades em um determinado idioma, saiba que deve se esforçar para isso. E que nem todas as técnicas que você usará nem sempre serão as mais prazerosas e talvez até cansativas. Tudo depende da sua força de vontade.
Recomendo que escolha seriados com episódios em torno de 20 minutos (Friends), pois o processo todo pode durar em torno de 1 hora e 30 minutos a 2 horas. O que pode ser considerado cansativo. Então, se você escolhe um seriado muito grande, vai ser muito, muito desgastante.
Também aconselho que faça isso uma vez por semana. Mas, durante a semana mantenha-se assistindo, pelo menos um episódio por dia, da sua série favorita em inglês com legendas em inglês.

Importante dizer que essa técnica funciona comigo e acho muito legal. Pode ser que você não se adapte. Recomendo que experimente. Se gostar, comenta aqui o que achou. Espero que tenha ajudado. 
27 dezembro, 2016
Eu espero que sim. 
Eu realmente espero que você que está me lendo esteja bem. Eu espero que tudo esteja se resolvendo. Eu espero que esteja amando e sorrindo e fazendo memórias. 
Eu espero que esteja feliz. 
Eu nem sei porque sumi por tanto tempo. Eu não sei, algo não estava me deixando escrever. Mas aqui estou escrevendo pra ninguém especifico, só pra saber se ainda sei fazer o que eu mais amava. Escrever. Deixar as palavras expressarem tudo que eu nunca fui capaz de dizer, deixar que as linhas que compõem um texto consigam revelar uma parte de mim que não mostro pra ninguém. Um lado meu escondido que precisa se exibir de vez em quando. Um lado meu tão poético e sonhador e às vezes tão delicado que nem parece eu. Mas deve ser assim que sou por dentro e quem sabe um dia eu retire essa muralha e permita que todos conheçam todos os meus lados. Vai saber. 
Eu ultimamente tenho esperado muitas coisas. Talvez seja por isso que eu voltei. Porque espero que no próximo ano eu não me largue desse jeito e possa escrever mais.. 
Senti muita falta de fazer isso, e todas as vezes que tentei, desisti no meio do caminho..
Mas aqui estou tentando me entender através desse meio texto que ninguém vai ler. 
Eu só precisava saber que eu consigo. Pode parecer meio exagerado, mas é que eu realmente amo isso. Amo muito mesmo. E eu sempre me lamento por não ser tão inspirada quanto eu fui um dia, quando as palavras saiam sem esforço algum.. Mas lamentar não é solução. Escrever que é. Voltar aos poucos e um dia ser quem eu fui. É, eu espero conseguir isso.
E espero que você que está me lendo também consiga alcançar seus objetivos.
Eu espero que esteja feliz. 

Facebook

Leitores

Mais lidos do mês

Visualizações de páginas mensal

Tecnologia do Blogger.