25 setembro, 2012


Essa é uma nova TAG, onde eu vou colocar textos de autores brasileiros.Podem enviar as suas sugestões.

Duas mãos


Reprodução

Tomei uma decisão definitiva: vou parar de reclamar da vida. Não adianta emburrar, se queixar, ficar com rugas antes da hora. A coisa é bem simples: existem coisas que a gente pode fazer e outras que a gente não pode. O que depender de mim eu faço. O que depender dos outros, bem, daí é com os outros. E isso inclui você.
Eu cansei de esperar. Tudo bem, eu sei que a gente sempre espera (e por isso se ferra). Mas é inevitável. Penso que se eu posso fazer algo, você também pode. Por mais atolada de trabalho que eu esteja, lembro de você, quero saber se você está bem, se o resfriado melhorou, se você não pegou chuva, se o almoço estava bom. Desculpe, eu sou assim. É por isso que te ligo, é por isso que quero saber do seu dia, do negócio que deu certo, da reunião que atrasou, do trânsito infernal.
Tem uma diferença grande entre carinho e grude. Nunca fui grudenta, mas sou bem carinhosa e preocupada. Então, por favor, não me olhe com essa cara quando eu disser poxa, você não me mandou uma mensagem hoje. Sabe por quê? Porque vai ser sempre assim. É a eterna guerra dos sexos. Não, eu não sou feminista. Inclusive, volta e meia me acho até machista. Mas homens e mulheres diferem muito na demonstração de afeto. Pra gente, afeto é lembrança. Você está ocupado? Tudo bem, quando for fazer cocô mande uma mensagem de texto. Quando abrir o seu email mande um “eu te amo”. Quando estiver almoçando ligue “oi, é só pra mandar um beijo”. São coisas simples. Mas que importam. Que fazem com que nosso dia fique melhor.
Seu dia foi cheio de reuniões? Tudo bem, a gente entende. Mas todo mundo tem 2 minutos para uma ligação rápida, um email,  uma direct message. Se você pode tuitar bobagens, pode mandar uma mensagem de amor. Se você tem tempo de entrar em uma rede social, pode dar um oi rápido. Por favor, não cometa a atrocidade de dizer que seu dia foi cheio se você marcou presença nas redes sociais. Ok, eu sei que hoje em dia a gente trabalha com muitas janelas abertas. Mas todo mundo tem tempo para um entretenimento the flash. Então, você também tem tempo para um sinal de vida.
É bonito manifestar sentimento. E é feio só querer receber. Receber abraço, beijo, comidinha gostosa, carinho, cafuné. Na vida, a lei é clara: a gente dá e recebe. É uma via de duas mãos. Você faz, você leva. É claro que ninguém tem que fazer por merecer, mas em uma relação a gente tem que se preocupar, sim, com as necessidades do outro. E se o outro se sente mais amado com um bilhete, uma surpresa, uma flor, uma carta, um email querido, uma mensagem romântica, não custa nada ser gentil. É bom agradar quem a gente ama. O ruim é ser egoísta e só pensar nas próprias necessidades. Mesmo porque a gente deve pensar o seguinte: é agradando o outro que eu agrado a relação. Se o outro está feliz, ele vai querer a sua felicidade também. Dizem que uma mão lava a outra e as duas lavam o rosto, certo?

Sobre a autora:
 Clarissa Corrêa é escritora e publicitária gaúcha. Escreve crônicas sobre os sonhos, desamores, romances e segredos que as mulheres guardam dentro de suas bolsas e corações.

0 Comentários :

Facebook

Leitores

Arquivo do Blog

Mais lidos do mês

Visualizações de páginas mensal

Tecnologia do Blogger.